mitos-e-verdades-sobre-a-vasectomia-2

Mitos e verdades sobre a vasectomia

Um procedimento que sempre está cercado por boatos, a vasectomia é a cirurgia que mais deixa os homens temerosos. Isso porque há muita informação disponível sobre o assunto, mas nem tudo é verdade. Por isso, preparei esse artigo para explicar o que é mito e o que é verdade nas principais afirmações encontradas na internet. Então, se está pensando em realizar o procedimento, você precisa ler esse texto.

A vasectomia é irreversível.

Esse é, sem dúvidas, o mito mais recorrente. Apesar da taxa de sucesso diminuir à medida que os anos após a realização da cirurgia passam, o procedimento é reversível. Se a reversão for feita entre três ou quatro anos depois, as chances da mulher engravidar são de 70%. Porém, a técnica chamada de vaso-vasostomia é bem complexa e possui limitações. O ideal é ter a plena convicção do objetivo que deseja alcançar com a cirurgia, para evitar a necessidade de revertê-la.

Mesmo após a cirurgia, é possível que a mulher engravide.

Por incrível que pareça, é verdade. Porém, esse risco só existe nos primeiros 60 dias após o procedimento. O paciente é liberado para poder ter relações sexuais sete dias depois da intervenção. Porém, para evitar a gravidez, é preciso utilizar algum método anticoncepcional até quando o seu urologista recomendar. Após a cirurgia, alguns espermatozoides podem continuar vivos no canal deferente que chega ao pênis, por isso, há chances de gravidez.

O procedimento é simples.

Verdade. O procedimento cirúrgico é simples, pois o cirurgião irá apenas cortar os canais deferentes, responsáveis por transportar o esperma dos testículos à uretra.  Em seguida, as duas extremidades são amarradas, os dutos são bloqueados e o sêmen fica sem espermatozóides.

A cirurgia afeta a performance sexual do homem.

Obviamente, essa afirmação é uma mentira. Não há qualquer relação entre a vasectomia e a impotência sexual e nem afeta a performance masculina.

Após a vasectomia, o homem deixa de ejacular.

Outro mito da internet. O homem continua a ejacular após realizar a cirurgia. O que muda é que o conteúdo ejaculado deixará de ter espermatozoides. Grande parte do líquido seminal que é ejaculado não vem dos ductos deferentes, mas sim das vesículas seminais.

A cirurgia só é indicada para homens a partir dos 30 anos de idade.

É uma afirmação verdadeira quando observamos o perfil da maioria dos homens que realizam o procedimento. No entanto, não é um padrão. Quando o paciente manifesta o desejo na cirurgia, o urologista irá avaliar a realidade familiar do homem. A decisão do médico é individualizada e considera caso a caso, por isso, não há uma idade padrão. As principais informações analisadas são a quantidade de filhos, a situação econômica e a qualidade do relacionamento com a esposa.

Depois da vasectomia vou sentir dor no pênis ao ter relações sexuais.

Um outro mito que assusta os homens. O pênis não está envolvido diretamente no procedimento e, por essa razão, não sofre nenhum tipo de corte que afete a sua sensibilidade. Em consequência disso, não haverá nenhum tipo de dor durante o ato sexual. Esses são os maiores mitos e verdades sobre a vasectomia encontrados na internet. No caso de dúvidas, o urologista é o profissional mais indicado para orientar você. Quer saber mais? Clique no banner!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp